Planeta Sustentável

terça-feira, 10 de setembro de 2013

Texto da Turma 701 Maias


Economia dos Maias

 

Os Maias vinculavam a economia através da agricultura, impostos, comércio, principais atividades econômicas, sistema de trocas, agricultura.

A Agricultura era a principal base da economia Maia, e em sequência a caça e pesca.


Os principais gêneros agrícolas cultivados pelos maias eram o milho, cacau, algodão, tomate, batata e frutas. Usavam técnicas de irrigação e mudavam constantemente seus locais de plantio. A técnica agrícola dos terraços era muito usada como forma de evitar a erosão do solo. As queimadas também eram usadas para abrir espaços na floresta para a prática da agricultura.
O sistema econômico, era através da unidade de troca, utilizavam sementes de cacau e sinetas de cobre, material que empregavam também para trabalhos ornamentais, ao lado do ouro, da prata, do jade, das conchas do mar e das plumas coloridas. Entretanto, desconheciam as ferramentas metálicas.

É importante observar que por serem os recursos naturais escassos não lhes garantindo o excedente que necessitavam a tendência foi desenvolverem técnicas agrícolas, como terraços, por exemplo, para vencer a erosão. Os pântanos foram drenados para se obter condições adequadas ao plantio.


Ao lado desses progressos técnicos, observamos que o cultivo de milho se prendia ao uso das queimadas. Durante os meses da seca, limpavam o terreno, deixando apenas as árvores mais frondosas. Em seguida, ateavam fogo para limpá-lo deixando o campo em condições de ser semeado. Com um bastão faziam buracos onde se colocavam as sementes.


Dada a forma com que era realizado o cultivo a produção se mantinha por apenas dois ou três anos consecutivos. Com o desgaste certo do solo, o agricultor era obrigado a procurar novas terras. Ainda hoje a técnica da queimada, apesar de prejudicar o solo, é utilizada em diversas regiões do continente americano.


As Terras Baixas concentraram uma população densa em áreas pouco férteis. Com produção pequena para as necessidades da população, foi necessário não apenas inovar em termos de técnicas agrícolas, como também importar de outras regiões produtos como o milho, por exemplo.

O comércio era dinamizado com produtos como o jade, plumas, tecidos, cerâmicas, mel, cacau e escravos, através das estradas ou de canoas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário