Planeta Sustentável

terça-feira, 11 de junho de 2013

Renascimento (Humanismo, Antropocentrismo, Individualismo) - Questões com gabarito





1. (Uff 2007)



O quadro de Leonardo da Vinci revela uma das facetas do grande artista do Renascimento que durante a vida transformou sua experiência de mundo em arte, sempre pronto a inovar. 

Essa criatividade levou Leonardo da Vinci a ser conhecido como um homem que 
a) transformou a arte da escultura ao expressar através dela a grandeza da vida espiritual. 
b) abdicou de sua riqueza para se dedicar à pintura de personagens da Corte de Florença. 
c) se envolveu com a natureza, com a sociedade e com todos os ramos de artes, de modo tão intenso que passou a ser conhecido como um artista-cientista. 
d) se dedicou às artes e às ciências através da teoria do direito divino, aplicada nos seus exercícios de anatomia. 
e) participou de várias sociedades secretas que tinham por objetivo reescrever os textos bíblicos com o intuito de apresentar a verdadeira face de Jesus. 

2. (Unicamp 2012) De uma forma inteiramente inédita, os humanistas, entre os séculos XV e XVI, criaram uma nova forma de entender a realidade. Magia e ciência, poesia e filosofia misturavam-se e auxiliavam-se, numa sociedade atravessada por inquietações religiosas e por exigências práticas de todo gênero. 
(Adaptado de Eugenio Garin, Ciência e vida civil no Renascimento italiano. São Paulo: Ed. Unesp, 1994, p. 11.) 

Sobre o tema, é correto afirmar que: 
a) O pensamento humanista implicava a total recusa da existência de Deus nas artes e na ciência, o que libertava o homem para conhecer a natureza e a sociedade. 
b) A mistura de conhecimentos das mais diferentes origens - como a magia e a ciência - levou a uma instabilidade imprevisível, que lançou a Europa numa onda de obscurantismo que apenas o Iluminismo pôde reverter. 
c) As transformações artísticas e políticas do Renascimento incluíram a inspiração nos ideais da Antiguidade Clássica na pintura, na arquitetura e na escultura. 
d) As inquietações religiosas vividas principalmente ao longo do século XVI culminaram nas Reformas Calvinista, Luterana, Anglicana e finalmente no movimento da Contrarreforma, que defendeu a fé protestante contra seus inimigos. 

3. (Espcex (Aman) 2011) As transformações culturais ocorridas na Europa dos séculos XIV a XVI ficaram conhecidas como Renascimento. Foram características deste movimento: 
a) Misticismo e tentativas de reinterpretar o cristianismo. 
b) Teocentrismo e recuperação de línguas clássicas (latim e grego). 
c) Individualismo e utilização de novos recursos como a perspectiva no desenho e na pintura. 
d) Racionalismo e críticas ao período conhecido como Antiguidade Clássica. 
e) Antropocentrismo e rejeição de temas religiosas nas produções artísticas. 

4. (Enem 2011) Acompanhando a intenção da burguesia renascentista de ampliar seu domínio sobre a natureza e sobre o espaço geográfico, através da pesquisa científica e da invenção tecnológica, os cientistas também iriam se atirar nessa aventura, tentando conquistar a forma, o movimento, o espaço, a luz, a cor e mesmo a expressão e o sentimento. 
SEVCENKO, N. O Renascimento. Campinas: Unicamp, 1984. 

O texto apresenta um espírito de época que afetou também a produção artística, marcada pela constante relação entre 
a) fé e misticismo. 
b) ciência e arte. 
c) cultura e comércio. 
d) política e economia. 
e) astronomia e religião. 

5. (CPS 2011) A natação, hoje considerada um dos esportes mais completos, já era mencionada na Grã-Bretanha, desde os tempos da dominação romana, época em que era considerada uma prática da elite. Com a chegada do feudalismo, a natação torna-se rara, pois era incompatível com guerreiros que frequentemente usavam armaduras. Mas o interesse pelo esporte ressurgiu no fim do século XVI, quando em 1587, o professor Everard Digby publicou o livro intitulado A arte de nadar. Ele queria transformar a natação em um esporte para fidalgos, na tentativa de torná-los mais parecidos com os romanos. A obra de Digby, cujos capítulos explicam e ilustram como nadar, foi indicada, por outros educadores, aos fidalgos da Inglaterra dos Tudor e dos Stuarts. 
(Revista BBC Knowledge, maio de 2010. Adaptado) 

Sobre o livro de Digby, é valido afirmar que foi 
a) escrito na Antiguidade Clássica, período em que prevaleceu a cultura cristã. 
b) divulgado quando o antropocentrismo e o individualismo renascentista prevaleciam. 
c) indicado às necessidades dos senhores feudais que estavam interessados na natação. 
d) escrito no período do Iluminismo, filosofia que tinha como base o racionalismo, o liberalismo e o pensamento científico. 
e) publicado pelo autor numa época em que a Inglaterra passava por profundas mudanças econômicas, devido à Revolução Industrial. 

6. (Unicamp simulado 2011) Para as artes visuais florescerem no Renascimento era preciso um ambiente urbano. Nos séculos XV e XVI, as regiões mais altamente urbanizadas da Europa Ocidental localizavam-se na Itália e nos Países Baixos, e essas foram as regiões de onde veio grande parte dos artistas. 
(Adaptado de Peter Burke, O Renascimento Italiano. São Paulo: Nova Alexandria, 1999, p. 64.) 

A relação entre o Renascimento cultural e o ambiente urbano na Europa dos séculos XV e XVI justifica-se porque. 
a) as cidades eram centros comerciais e favoreciam o contato com a cultura árabe, cujo domínio das técnicas do retrato e da perspectiva sobrepôs-se à arte europeia, dando origem ao Renascimento. 
b) a presença de artistas nas cidades atraía os investimentos de ricos burgueses em busca de prestígio social, fazendo com que as regiões que concentravam os artistas, como a Itália e os Países Baixos, se urbanizassem mais que as outras. 
c) nas cidades podia-se estudar a cultura artística em universidades, dedicadas ao cultivo da tradição clássica e ao ensino de novas técnicas, como o uso do estilo gótico na arquitetura e da perspectiva na pintura. 
d) a riqueza concentrada nas cidades permitia a prática do mecenato, enquanto o crescimento do comércio estimulava o encontro entre as culturas europeia e bizantina, possibilitando a redescoberta dos valores da antiguidade clássica. 

7. (Unesp 2012) Os centros artísticos, na verdade, poderiam ser definidos como lugares caracterizados pela presença de um número razoável de artistas e de grupos significativos de consumidores, que por motivações variadas — glorificação familiar ou individual, desejo de hegemonia ou ânsia de salvação eterna — estão dispostos a investir em obras de arte uma parte das suas riquezas. Este último ponto implica, evidentemente, que o centro seja um lugar ao qual afluem quantidades consideráveis de recursos eventualmente destinados à produção artística. Além disso, poderá ser dotado de instituições de tutela, formação e promoção de artistas, bem como de distribuição das obras. Por fim, terá um público muito mais vasto que o dos consumidores propriamente ditos: um público não homogêneo, certamente (...). 
(Carlo Ginzburg. A micro-história e outros ensaios, 1991.) 

Os “centros artísticos” descritos no texto podem ser identificados 
a) nos mosteiros medievais, onde se valorizava especialmente a arte sacra. 
b) nas cidades modernas, onde floresceu o Renascimento cultural. 
c) nos centros urbanos romanos, onde predominava a escultura gótica. 
d) nas cidades-estados gregas, onde o estilo dórico era hegemônico. 
e) nos castelos senhoriais, onde prevalecia a arquitetura românica. 

8. (Uff 2010) O mundo moderno está associado, na sua origem, à cultura renascentista. Invenções e descobertas só puderam ser realizadas porque os intelectuais renascentistas reuniram tradições clássicas ocidentais e orientais, a fim de dar novo sentido à ideia de HOMEM e NATUREZA. 
Assinale a afirmativa que pode ser corretamente associada ao Renascimento. 
a) O livro da natureza foi escrito em caracteres matemáticos. (Galileu) 
b) O homem é imagem e semelhança de Deus. (Jean Bodin) 
c) O mundo é perfeito porque é uma obra divina e, assim, só pode ser esférico. (Marsílio Ficino) 
d) A perspectiva é o fundamento da relação entre espaço humano e natureza divina. (Alberti) 
e) A proporção é a qualidade matemática inadequada à representação do mundo natural. (Leonardo da Vinci) 

9. (Ufc 2010) A análise histórica do Renascimento italiano, caso das obras de Leonardo da Vinci e de Brunelleschi, permite identificar uma convergência entre as artes plásticas e as concepções burguesas sobre a natureza e o mundo naquele período. Acerca da relação entre artistas e burgueses, é correto afirmar que ambos: 
a) convergiram em ideias, pois valorizavam a pesquisa científica e a invenção tecnológica. 
b) retomaram o conceito medieval de antropocentrismo ao valorizar o indivíduo e suas obras pessoais. 
c) adotaram os valores da cultura medieval para se contrapor ao avanço político e econômico dos países protestantes. 
d) discordaram quanto aos assuntos a serem abordados nas pinturas, pois os burgueses não financiavam obras com temas religiosos. 
e) defenderam a adoção de uma postura menos opulenta em acordo com os ideais do capitalismo emergente e das técnicas mais simples das artes. 

10. (Mackenzie 2009) "A natureza, ao dar-vos um filho, vos presenteia com uma criatura rude, sem forma, a qual deveis moldar para que se converta em um homem de verdade. Se esse ser moldado se descuidar, continuareis tendo um animal; se, ao contrário, ele se realizar com sabedoria, eu poderia quase dizer que resultaria em um ser semelhante a Deus." 
Erasmo de Roterdã 

No trecho anterior, datado de 1529, do filólogo e pensador da cidade holandesa de Roterdã, encontra-se manifesta a presença do pensamento 
a) teocentrista, priorizando a ideia do sobrenatural e da ligação do Homem com o divino. 
b) experimentalista, em que todo e qualquer conhecimento humano se daria por meio da investigação científica. 
c) escolasticista, doutrina que admitia a fé como a única fonte verdadeira de conhecimento. 
d) antropocentrista, valorizando o Homem e suas obras como base para uma visão mais racional do mundo.    
e) epicurista, apontando para uma postura ideológica que configurou a transição para a Idade Moderna. 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário